Postagens

Sons

Eu sou barulho. Eu ruído desde criança. Eu sonoro quando acordo e ninguém está, nas panelas. Incansável certifico a todos no sono de que estou viva. Meus ouvidos têm prazer no marulho da sala de aula.
Eu sou barulho. Até q me pego serena nas janelas dos meios de transporte. Até q paro olhando e reparando nos ambientes, ouvindo lofi. Até q falo baixinho. PRA DEPOIS ASSUSTAR NUM GRITO.

Um pedido para expressar emoções

As linhas curvilíneas do teu rosto agora passeiam na minha mente. Na besteira, te comparo, como um passarinho em que quero pôr rodas. De vez em quando, tua voz corta o silêncio da minha memória como uma faca de pão. E sorrio.
O ser esperançado que sou já não se esconde no desânimo, mas sai meio mal assombrado das cortinas do passado.
Orgulho-me da transição, da mudança. A tessitura do meu coração, mesmo lentamente pontocruziada, ganha novas cores.

Já não tenho 19

Pegando carona nesse jazz macio,
Depois desses anos a maldade,
Perdeu-se nesse tempo esguio
A moça de tenra idade.

Na pressa de alcançar os espaços,
Moldou-se às paredes
E, com longos passos,
De fazer, amadureceu a sede.

Diante do reflexo que sumiu,
Antes da transformação da vaidade,
Ela acenou amistosa e sorriu,
Porque nele só havia ambiguidade.

Das mãos, os mais lindos laços.
No escuro, nem se comede.
Lembranças dos abraços
É só o que o coração pede.

"Pula comigo?", inqueriu
E o que era cumplicidade
Transformou-se, ainda inicio,
Em, desse amor, a reciprocidade.

Hoje ela pega esse amor que construiu
E, em meio a seus cansaços,
Pode sorrir em serenidade.
É o crime que o amor comete.

Que cabeça a minha!

Eu perdi algo. Sempre esqueço as coisas mais importantes nos lugares mais sem importância. Estava aqui. Eu só não sei onde deixaria se não fosse aqui. Eu devo ter deixado cair. Esse é o tipo de coisa que realmente me irrita: não conseguir lembrar onde me perdi, onde me deixei tão bem guardada que nem eu acharia, onde me deixei esfarelar e desmiuçar a tal ponto de não me reconhecer.

Significâncias II

Você não é o mesmo! Depois de tanto tempo longe, a gente começa a idealizar, então não me surpreendem as mudanças. O mundo te fez tão mal; a guerra te fez cair os cabelos e os juízos. Mas você é tão jovem! E agora, te querem tirar de mim de novo? Vira teu olho, Napoleão! Não fica aí parado, Cristóvão! Eu me recuso a debulhar em lágrimas as minhas horas de preparação! Eu me recuso a voltar a te idealizar apenas! Apenas porque eu sei que não serás o mesmo de agora. Nem o mesmo de antes. Nem eu.

Inspirado em The Black Brunswicker (Millais,1860)

Significâncias I

Eu escolhi um vestido estampado e ataviei o cabelo com flores. Você escreveu uma coroa de ramos que eu não poderia deixar de criticar. Eu me apressei, olhei pra tanta coisa. O relógio não pára pra ninguém, muito menos pra quem esqueceu de calçar as sandálias. Mas você me parou e olhou tão profundamente para a minha efervescência que eu não pude continuar. Aí, você me presenteou com o beijo na bochecha mais significativo. Eu só podia aproveitar pra amarrotar minha pressa.

Inspirado em O Beijo (Klimt, 1907-1908)

"Ele é tudo"

Imagem