sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Chama-se dizer muito e não dizer nada

Eu prometi a mim mesma que escreveria algo sobre o que aconteceu comigo hoje. Eu prefiro contar o que eu queria que tivesse acontecido. Eu queria ter saído e encontrado, no ônibus, uma pessoa que cuspa na minha mochila - todo um contexto que não vou expor, leitor, perdão. Eu queria ter tido uma aula tranquila e divertida, que não me fizesse conflitar minhas certezas. Eu queria que as pessoas que gosto mudassem menos. Na verdade, mantenho a teoria de que as pessoas não mudam: elas escodem ou expõem aspectos de si mesmas de acordo com a necessidade. Enfim, acho que esse foi o texto mais sem lógica que já fiz, mas é que acho prudente não me aprofundar.