terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Muitos aspectos

 Olhe só pra si! Olhe para tudo isso e para nós. E não somos nada, não é mesmo? Não diga que eu não avisei. Eu tomei um café hoje e me senti tão feliz. (risos) Um café! Dá pra imaginar o quanto eu sou ingênua? A minha voz não é muito diferente das outras. Perde-se entre as buzinas dos corações. Essas maquiagens, rebocos para velhas casas com estruturas pouco confiáveis. Essas crianças... Meu Deus, as crianças! Quanta doçura, quanta leveza. E os idosos, meu Pai! Quanta saudade, quanta realidade. Mas eu não sei a que ponto queria chegar com todos esses assuntos sem muita conexão, a não ser que você queira ver. Então, sorrio, porque é vaidade. Tudo é vaidade! E a gente ainda se preocupa.