quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Pó de vida e de doação

Eu escrevi uma carta à terra uma vez. Não ao planeta: ao pó. Eu quis que soubesse o quanto cada substância é importante. Não é incrível quando alguém é agradecido? Disse à terra que somos férteis, somos grandes, somos pisados. Disse que pusemos o que viria por nosso intermédio antes de nós mesmos. Disse que seguiria seu exemplo: mesmo que as pessoas não queiram me curtir, eu farei de tudo para que curtam o que tenho a oferecer.