sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Perdoe a fatalidade característica

Todos precisamos de estímulo. Então, se algo nos impulsiona, nos desafia, nos encoraja, que seja valorizado! Eu andei pensando no pôr-do-sol, nas nuvens - como sempre - e percebi que somos empurrados. Sim, digo, somos empurrados todos os dias pelos nossos compromissos, pelas vontades. Talvez quem não tenha razão para viver mereça, melhor, aceite com facilidade morrer. A morte tem seus dedos alongados sobre pessoas sem rumo, pessoas com rumos sem perspectiva. Como somos espuma-de-onda, melhor que façamos com que valha a pena a viagem até a areia.